12 de mai de 2009

VOCÊ ESTÁ DEMITIDO, MAS A CULPA É TODA MINHA...

Primeiramente, peço desculpas pelo atraso desta coluna, já que deveria tê-la publicado ontem...

Na verdade, tenho andado tão ocupado com minha mudança de emprego e com os últimos procedimentos de meu mestrado que, honestamente, confesso que deixei um pouco de lado este blog na última semana. Entretanto, mesmo com toda esta rotina, não poderia deixar de continuar minhas observações pelas empresas que tenho conhecido de alguns meses para cá.

Tenho vários amigos que demitiram colaboradores por problemas de conduta no trabalho. Muitos dizem, como explicitei no post “A Fila Anda, Isso é Bom ou Ruim?!”, que se um funcionário não dá valor ao seu emprego, o problema é dele, pois há uma fila enorme atrás interessada em trabalhar pela metade do salário. Por isso, muitas pessoas têm sido demitidas por motivos pequenos, afinal, a mão-de-obra tornou-se algo descartável e facilmente substituível.

Infelizmente, o que muitas vezes esquecemos é que, em grande parte dos casos a culpa das demissões é do “chefe”, pois se este fosse realmente um “líder”, muitos problemas seriam evitados.

O que se pode esperar, por exemplo, de um funcionário cujo chefe baixe vídeos particulares de piadas, montagens (e várias outras coisas que nem podemos imaginar), no computador do escritório?! No mínimo, este funcionário, irá baixar alguns “vídeozinhos” quando não estiver sendo vigiado por ninguém.

Para ilustrar melhor este exemplo, vou contar um caso real:

Tenho um amigo que demitiu um funcionário por ter baixado mais de 45 GB de vídeos, dentre os quais, muitos eram pornográficos, para o computador do escritório. Inicialmente, eu achei esta atitude a mais acertada, entretanto, descobri muitos vídeos semelhantes de propriedade deste mesmo amigo em outro computador da empresa.

Agora eu lhes pergunto:

Por que este funcionário teria baixado tais arquivos?!

Em minha resposta eu diria que foi por ter visto seu superior fazendo a mesma coisa.

Da mesma forma, este espelho funciona com quaisquer atitudes dentro da organização. É impossível acharmos que ninguém reproduzirá o que fazemos, afinal, parte do comportamento humano compreende associações em um contexto social do qual o homem não consegue se isolar.

Então eu lhes faço a seguinte pergunta:

A LIDERANÇA é um exercício de exemplo, profissionalismo e outros fatores de influência ou seria um exercício de coerção, punição e outros fatores de imposição?!

Eu penso que a primeira opção seria a mais adequada. Isso porque é mais fácil vermos um comportamento apresentar resultados positivos quando for reproduzido por influências de profissionalismo e bom exemplo. Todos devem entender que esferas de nossa vida que são compartilhadas com outros (e o trabalho é uma destas esferas) necessitam condutas que se encaixem no “padrão” de várias pessoas, portanto, chegamos à conclusão popular de que certas coisas devem ser feitas em casa.

Eu entendo que o cuidado que o funcionário deste meu amigo não teve, ao baixar tantos arquivos fúteis em seu terminal de trabalho deve ser tomado por todos, mesmo que nossos superiores façam o contrário.

Vale observar que o ser humano, enquanto ser político e social tende a padronizar certas condutas e, pensando erradamente que o ambiente é descontraído e leve, não percebe que a empresa está sob um clima distorcido e anti-profissional.

Devemos ser modelos de profissionalismo onde quer que estejamos, mas uma boa dose de leveza no clima organizacional vai muito bem. Só não vamos confundir as coisas...

Abraços a todos!!!

2 comentários:

  1. Olá, Wanderson, O seu post está ótimo.
    Realmente já passei também por desconfortos assim com um antigo chefe, usávamos o mesmo computador e algumas vezes encontrei coisas que não deveriam estar ali. Hoje estou em uma empresa ótima e muito profissional. Cabe a cada um de nós fazermos o profissional que queremos ser, nós é que temos que construir o nosso profissionalismo. Se estiver em uma empresa que age como a que está descrita no post, está aí sua oportunidade de ser diferente dos outros, de se destacar, basta enxergarem a oportunidade e agir.
    Abraços e uma ótima semana!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Wanderson,

    Achei muito interesante seu post, entre outros que li no seu blog, confesso que rapidamente. O título deste post é muito desconfortável para "líderes" ou chefes de regem sua equipe com a arma da demissão. Já refleti muitas vezes sobre o caso em que a culpa de um demissão se deve mais ao fato da falta de liderança que outros motivos, não só pelo exemplo do download de arquivos, mas pela ética, conduta e profissionalismo que existe hoje em dia nas empresas.

    Os líderes de metas desafiadoras serão melhores quando souberem que podem mais que, com sua equipe, integra, e motivada e melhorar os resultados!

    Parabéns!

    Abraços,

    Antonyony Santana
    http://antonyony.blogspot.com

    ResponderExcluir