10 de abr de 2009

RESPOSTAS

Olá a todos...

Primeiramente, quero saudá-los com uma BOA NOITE, já que estou escrevendo às 23:30 (meu único horário para isso...)!

Antes de iniciar o próximo post, quero destacar dois comentários sobre a última coluna e fazer algumas breves considerações sobre eles.

Também vou lembrá-los que, nem todos que me procuraram, fizeram comentários nos sites e, apesar da boa resposta desta primeira semana, quero pedir-lhes que comentem diretamente pela Internet para que eu tenha um feedback guardado nos próprios sites.

Vamos então...

Primeiro comentário:

Está muito bem o informativo em relação à situação de Nova Friburgo!Vc tá sabendo q enfrente a padaria super pão, não vai poder estacionar carros, será um calçadão? Portanto vai acabar o estacionamento. E aquela rua da Livraria Na Benção vai mudar de sentido, tá sabendo???Me informe a respeito!!!

RESPOSTA:

Bem, ainda não sei com certeza a respeito do que você diz, mas tenho ouvido muitos comentários e, francamente, não duvido nada disso... O que posso dizer é que, de fato, não sou contra mudanças de sentido de ruas ou criação de novos calçadões, entretanto, temos prioridades maiores que essas (em minha humilde opinião) e não creio que simples mudanças em sentido de ruas resolverão nossos problemas. Se houverem tais mudanças, elas devem fazer parte de projetos maiores e, novamente digo, não sou contra, desde que tais projetos realmente aconteçam.

Também acho que, além de precisarmos de novas ruas e projetos urbanos para desafogar o trânsito friburguense, temos outras esferas municipais que merecem muita atenção (saúde, social, meio-ambiente e outras).

Tenho convicção de que uma administração municipal não é nada fácil, mas também sei que apenas mudar uma ou mais ruas de sentido não causará grande impacto sobre nossa cidade. O que podemos fazer é esperar pela realização dos projetos que nosso atual prefeito lançou em sua campanha e cobrá-lo por isso em um tempo oportuno, já que o mandato dele mal começou...

Segundo comentário:

Primeiramente, parabéns pela iniciativa. Como friburguenses que somos, temos que nos envolver nas questões sociais de nossa cidade sim, e sem dúvida, sua contribuição com um ponto de vista profissional terá um peso diferenciado ante as nossas autoridades. Quero deixar uma opinião: Esta coisa de tarifa única não me parece algo justo. Alguém paga de mais e alguém talvez pague um pouco menos. Sou do tipo que defende o princípio do "Vale quanto Pesa". Como administrador, o que teria a dizer sobre esta prática em nossa cidade?

RESPOSTA:

Primeiramente, o envolvimento em questões sociais de nosso contexto é fundamental, por isso foi criado este espaço, para que, não apenas eu, mas todos comentem e deixem suas opiniões de maneira respeitosa e ética.

Muito bem, vamos ao que penso:

Também defendo o seu princípio do “vale quanto pesa” e tenho certeza que as pessoas que moram em bairros como São Lourenço e Lumiar são beneficiados pelo serviço de transporte municipal. Entretanto, aqueles que moram em bairros próximos ao centro não estão em situação tão favorável quanto o atual governo diz... Acho que, mesmo que nossa passagem tenha retornado ao preço de R$ 2,00, ela ainda está cara.

Independentemente do serviço de integração, da aquisição de novos veículos para nossa frota de nossos ônibus e da possibilidade de bilhetagem eletrônica (argumentos defendidos para o aumento da passagem), não acho vantajoso para moradores de bairros próximos ao centro pagar R$ 2,00 ou R$ 2,50 e andar menos de dez minutos, muitas vezes em pé e apertados dentro dos carros de nossa empresa de transportes públicos. Entendo, também, que nosso trânsito não comportaria outra empresa de ônibus e, apesar de utópica, acho válida a idéia do “trem” que cortará a cidade. Portanto, a solução não é simples.

Aliás, não sei até que ponto é viável cogitar este projeto do trem, já que, como leigo no assunto, sou cético. Mas esta proposta mostra que, podem surgir idéias e contribuições de qualquer cidadão.

Quanto, aos ônibus, sou a favor de uma tarifa tabelada, pois não gostaria de pagar a tarifa única quando estou com pressa para ir do centro a Olaria, mas pagaria tranqüilamente para ir a São Pedro. Assim, acho interessante defender uma tarifa mínima de X reais e máxima de Y reais.

Também acho que, se todos nós (e me incluo nisso) administrássemos melhor nosso tempo, não dependeríamos tanto do serviço de ônibus... Eu mesmo estou pensando em comprar uma bicicleta ou uma moto porque acho que minha saúde até melhoraria com algumas pedaladas ou meu bolso agradeceria muito com a economia de certas motos... rsrsrs.

Vamos fazer as contas e ver quanto gastamos por mês com passagens e quanto são as prestações mais baratas das motos do mercado...

Espero ter satisfeito vocês com minhas ponderações e aguardo novas contribuições...

Também agradeço a todos que comentaram no site (e fora dele também) e espero estar atendendo a vocês. Caso não esteja, avisem-me, para melhorarmos juntos este espaço que disponibilizo a todos!!!

Deus os abençoe!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário